“A criança o Homem e o Alienígena.”

A criança o Homem e o Alienígena.

Perto de uma estrada em um campo aberto na tranquilidade do nosso planeta, começa sair do céu uma luz brilhante que baixava lentamente, na estrada os carros freavam e olhavam, ao mesmo tempo que a luz vinda do céu, se conectava com o medo.

Não saber, o desconhecido, o fantástico era uma mistura de medo e fantasia, algo que nunca, de todos que estava, ali, tinha acontecido ou presenciado pelo homem, era algo mágico.

A tal nave pousou lentamente em campo aberto, seguro e objetiva, já está aqui, é real, existem…e agora está aqui diante dos nossos olhos.

A estrada parou a vida se congela, os carros desligam e a respiração desde longe se ouve, o barulho do aparato também…alguns segundos de tenção, medo, nostalgia, angústia e uma grande mistura de sentimentos, o novo o desconhecido as histórias desse mito desse momento…

De repente uma pequena porta ao lado da nave começa a abrir, a atenção redobra, alguns não fazem nada, outros correm, uns poucos rezam, e muitos outros tiram seus celulares para gravar.

Ao terminar de abrir a tal porta, não tinha fumaça alguma, começa saindo de dentro da nave pessoas uma espécie de família, pai, mãe, dois filhos e uma terceira pessoa talvez um membro da família ou ajudante.

O real era que algumas pessoas não acreditavam, era reais e se pareciam com nós…

Igual que aquela família, outra saindo de dentro de um veículo,ora estacionado na estrada, também começa lentamente sair do carro na mesma direção daquela família, parecia uma telepatia, como se o encontro fosse inevitável incomparável intergalácticos, um encontro estelar.

O medo ao desconhecido remonta na nossa história recente da humanidade, vários anos de horrível violência e catástrofes, de guerras sem sentidos e abusos por parte de alguns sobre o povo, mas isso é coisa do passado, ficou na memória e na história da humanidade.

Hoje em dia aqui na terra vivemos em uma pluralidade democrática, um único planeta, um único país, uma só regra, uma só lei, deveres e obrigações iguais para todos em todos os lugares do planeta, sem passaporte sem permissões para viver aqui ou ali, estabilidade social em qualquer parte do planeta em iguais condições para todos, trabalho, comida, água e todos os recursos do planeta são para todos e todos devem promover a devida ajuda ao planeta e ao próximo.

Não existe pobre ou rico, pena de morte e não existe um poder central, todos, sem exceção de cor raça ou religião não tem o direito de oprimir outro ser humano, respeito mútuo entre todos e convivência pacífica em todo o planeta, os recursos naturais são dividido em igual proporção para melhor abastecimento do planeta e as reservas naturais são prioridade aqui no nosso planeta, assim como o ser humano.

A paz reina em nosso planeta, não existem mais doenças que não se encontravam a cura, os medicamentos são para todos os que necessitam, as curas são investigadas de maneira primordial e os cientistas são prioridade em recursos para buscar e solucionar esse tipo de problema, já que aqui na terra não se usa tanto esse profissional porque não temos mais doenças estranhas, e os laboratórios são coisa do passado.

O estranho seria alguém doente, em hospitais, seria estranho alguém passar fome ou sede, ter problemas de habitação ou moradia, ter problemas com prestações sociais ou emprego, isso já não acontece mais aqui, já ficou no passado, são histórias que os mais velhos contam e choram.
Essa nave aterrizou aqui por que conhecia nossa história e como era nosso planeta, sabia que poderia descer aqui e abastecer e seguir viajem sem problemas, mas era essa sua verdadeira intenção?

As duas famílias agora ali uma diante da outra, olhavam e procuravam alguma coisa, outra vez o medo ao desconhecido tentava entrar naquela cena e participar ativamente, ambos dispostos a enfrentar o medo e o mundo para proteger cada qual sua família, mães dispostas a renunciar tudo para o bem comum dos filhos, aqui também é assim, a diário vemos nos jornais que pais deixam uma brilhante carreira profissional para estar mais tempo com os seus familiares e filhos, mais vezes estamos mais acostumados que a preocupação primeira é o filho e seu bem estar, talvez naquele planeta isso não aconteça, talvez ali tenham que trabalhar muito para pagar contas e deixam seus filhos nas escolas mais tempo do que o normal ou alguém cuida como um familiar, ou tenham que pagar por cuidarem de seus próprios filhos, uma pena, muitos séculos atrás aqui, dizem, também funcionava assim, mas essa parte da história está em livros em nosso museu de tecnologia, registrados para que alguém queira saber, mas confesso que não se usa muito.

A questão social, econômica, e tudo que está relacionado com a política do planeta se discute com todos, por fases, grupos, todos votam, as crianças também, ao vivo, por teleconferência, se envia por telepensamento, sempre com mão direito no centro do peito, para que exista uma conexão entre alma e coração.

Não existe delito, pena de morte, menor abandonado, todos têm família uma casa digna, e o planeta cuida de todos e todos cuidamos do planeta.

O silêncio é quebrado com um aperto de mão, que ao mesmo tempo toda a civilização do nosso planeta se rompe em um grande aplauso.

Ato seguido as famílias riem, e o homem do carro pergunta:

-o que o traz aqui?

Perplexo e atento a tudo, o homem da nave responde.

-estamos fugindo do nosso planeta.

E completa, fugimos das guerras da violência da falta de ética do povo em geral, fugimos dos políticos, dos crimes bárbaros, não temos água, nem comida para todos, todos os anos descobrem doenças sem curas que muitos morrem sem dar tempo de descobrir a cura e quando descobrem ou é muito cara ou não da mais tempo de usá-la, cada vez mais pessoas sobrevivem com o mínimo do nada, cada vez mais os pobres ficam pobres em igual proporção que os ricos ficam mais ricos.

Queremos outro futuro para nossos filhos, uma oportunidade de ser feliz, mesmo que seja em outro planeta.

A mulher da nave começa a chorar porque a despedida é iminente dos seus filhos, agradece por deixarem entrar pelo céu, uma via diplomática de um povo civilizado, que lembra de histórias que ela conhecia que isso era impossível.

Quando o homem do carro alega:

-em nosso planeta, em qualquer parte pensamos igual, todos somos iguais, temos os mesmos direitos e deveres, a primeira regra que temos como base, é o amor, ajudar sempre o próximo, todos têm comida, água trabalho, e os recursos naturais do planeta está dividido para todos em igual proporção, porque não ajudaríamos vocês?

Antes que toda a vida voltasse ao normal e as pessoas perguntassem o que eles querem se irão embora ou ficarão…alguns pensaram!

Quando os seres humanos desse planeta formou a fama que hoje temos, um povo espetacular, acolhedor, agradável, reconhecido por todos os planetas da galáxia, nossas viajens são conhecidas por todos do sistema, internamente o amor ao próximo impera e não necessitamos de documentos para viajar, morar trabalhar em qualquer parte do plante, os impostos são calculados de acordo com a aportarão de cada um, e não pagarás mas do que seria devido, cuidamos uns dos outros, incluindo o nossos visitantes.

Então o homem da nave pergunta:

podemos deixar nossos filhos aqui com vocês? Para que possam ter um futuro digno de um ser humano é ser felizes como vocês?

Ato seguido e quase ao mesmo tempo…

– seria um prazer poder receber a todos, em minha casa, em nosso planeta, falo por todos os moradores do agora nosso planeta, o planeta agora é nosso e nos cuidaremos dele. Existe lugar para todos, terras em abundância recursos naturais para todos, podem viver e ser felizes partir de hoje.

AAR.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s